Loading...

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Uma dica de português - voz passiva

Em todo concurso conta uma questão relacionada as vozes verbais. Sempre vai ter alguma questão sobre voz passiva especificamnte, se é ou não é, se tá certo ou não. O cespe adora.

Primeira coisa que você deve saber: * Somente VTD e VTDI admitem voz passiva

* Se você tem VTD ( verbo transitivo direto) + SE
ou VTDI ( verbo transitivo direto e indireto)+ SE

O SE será uma partícula apassivadora (PA).

O Se só será partícula apassivadora (PA) ( na voz passiva sintética - que é a que pede VTD+Se ou VTDI+Se)

ex: Realizam-se as pesquisas ( voz passiva - com o se) . Na voz passiva nunca haverá Objeto, logo, as pesquisas será sujeito -sempre na voz passiva.
Realizam as pesquisas ( voz ativa - sem o se). Só na voz ativa é que haverá objeto (as pesquisas) --> realizam o que? Complemento: as pequisas ( objeto direto ou OD)

Obs: Essa transformação de voz passiva para voz ativa e vice versa, só é possível com os Verbos VTD e VTDI ( que são os que admitem as partícula apassivadora - PA )

O que as questões pedem? Pedem que você diga se o Se é PA ou PIS, ou se determinada frase está na voz passiva, ou se está correta a frase na voz passiva . Eles dão uma frase e passam ela para a voz passiva e pedem para você dizer se tá certo ou não ( vc vai analisar se a frase podia ser passada ou não para a voz passiva - se o verbo era VTD ou VTDI) e se passram da forma correta...mais ou menos assim que eles pedem ou se a frase estrá na vos passiva e pedirá para vc passá-la para a voz ativa ou para a voz passiva analítica ...qualquer coisa e você tem saber fazer.


Voz passiva analítica --> pede verbo SER + particípio ( ADA / IDO) ex: São realizadas.
Voz passiva sintética --> pede verbo VTD + SE

* Toda passiva analítica é uma locução verbal ( tem dois verbos juntos ou mais de um verbo juntos) Ex: As pesquisas são realizadas por mim / O acordo foi proposto por nós.

A voz ativa - tem sujeito ( e o sujeito é o agente da voz passiva)
A voz passiva não há objeto - ela tem o Agente da Passiva ( q vai ser o sujeito da ativa)
A voz passiva tem sujeito - que será o objeto direto (OD) da voz ativa

Ex: Voz ativa - Realizam as pesquisas ---> Quem realiza as pesquisas? Não sabemos--sujeito Indeterminado / Qual é a transitividade do verbo? Quem realiza, realiza algo ou alguma coisa- realizaram o que? As pesquisas , então será VTD ( verbo transitivo direto- aquele que pede complemento sem preposição). Objeto Direto: As pesquisas ( é a resposta à pergunta).

OD: As pesquisas
Sujeito: indetermindado

Ex2: Voz passiva sintética - realizam-se as pesquisas

Não tem objeto ( lembram, é regra...logo tem sujeito). O Sujeito será: as pesquisas - o objeto da ativa vira na passiva o Sujeito ( gente isso eh regra...decorem)

Eles trocam de função e vice versa.

* Voz passiva não tem verbo de ligação e nem predicativo do sujeito--> São ( é verbo auxiliar ) realizadas (verbo principal) -São realizadas - dois verbos ou mias --> será locução verbal. * será predicado verbal e não nominal
*******************************************************************
* Se você tiver VI ( Verbo intransitivo) + SE
VTI ( verbo intransitivo indireto) + SE
VL ( verbo de ligação) + Se

O SE será partícula de indeterminação do sujeito ( PIS)
Por favor, não confunda PIS com PA - seguindo isso vocês não erram.

ex: (VTI) Trata-se definitivamente de versões infundadas

Trata-se--> verbo tratar --> quem trata, trata de alguma coisaou de algo ( verbotransitivo Indireto- VTI) --> logo o SE será PIS ( Partícula de indeterminação do sujeito)
Complemento verbal --> de ( preposição) versões infundadas ( Objeto Indireto - OI)

Obs: VTI --> Verbo que pede complemento com preposicão
VTD --> Verbo que pede complemento sem preposição

Índice de Indeterminação do Sujeito: vem acompanhando um verbo transitivo indireto, um verbo intransitivo (sem sujeito claro), um verbo de ligação ou um transitivo direto, em casos de objeto direto preposicionado. Serve para indicar que o Sujeito da oração é indeterminado. A voz é ativa. Neste caso, caso seja feita a tentativa, não é possível pôr a oração na voz passiva analítica.

- Necessita-se de voluntários para o hospital. (VTI)
- Neste lugar se é tratado como um animal. (VL)
- Ainda se corre o risco de perder o oxigênio. (VI)
- Ama-se a Deus. (VTD)


Indeterminação do sujeito

Vejamos, na seqüência de artigos, os casos em que o verbo acompanhado do pronome se não configura voz passiva e, portanto, não se pluraliza. Isso acontece com os verbos (1) intransitivos; (2) transitivos indiretos e (3) verbos de ligação, pois eles, não tendo um objeto direto, não admitem a construção passiva. Neste caso o sujeito é indeterminado, representado então pelo pronomese, que se chama "índice de indeterminação do sujeito". E o verbo fica sempre na 3ª pessoa do singular, impessoal, pois aí ele não tem com quem concordar.

  1. Intransitivos são os verbos que não precisam de complemento/substantivo; geralmente são acompanhados de um adjunto adverbial ou predicativo. Exemplos de verbos intransitivos usados impessoalmente:
  • Trabalhou-se demais naquela época.
  • Vive-se bem quando se tem paz de espírito.
  • Errou-se no julgamento uma vez; não se errará mais.
  • É fato sabido que se come mal quando se come às pressas.
  • Cantou-se, dançou-se e bebeu-se muito nos anos 60.
    1. Transitivos indiretos são os verbos que requerem um complemento regido de preposição. Então, ao ver o complemento/substantivo do verbo com a partícula se acompanhada de uma preposição, você já sabe que não deve pluralizar o verbo mesmo que esse substantivo esteja no plural, justamente porque aí ele não é o sujeito do verbo, mas sim seu objeto indireto:
    • Trata-se de um caso inédito. Trata-se de casos inéditos.
    • Assim, acaba-se com o intermediário. Assim, acaba-se com os intermediários.
    • Precisa-se de balconista com prática. Precisa-se de balconistas com prática.
    • Confia-se em qualquer pessoa. Confia-se em todas as pessoas.
    • Convém que se proceda a uma nova sindicância.
    • Convém que se proceda a novas sindicâncias.
      1. Também com os verbos de ligação ser e estar o pronome se marca a indeterminação do sujeito:
        • Quando se é criança, tudo parece fácil.[
        • Quando se está bem de saúde, a vida fica mais leve.

        Para solidificar o aprendizado e aguçar a percepção dos verbos preposicionados, observemos mais algumas frases construídas com verbos transitivos indiretos e complemento/substantivo no plural cujo sujeito é indeterminado:

          • Acabou-se, finalmente, com os mosquitos.
          • No último festival de cinema assistiu-se a dublagens bem-feitas.
          • Necessita-se, urgente, de mais verbas.
          • Ou se desmonta a inflação ou se chegará aos tempos em que restos de comida valerão mais do que um prato cheio.
          • Não se obedece às normas de trânsito como se devia.
          • Naquele departamento responde-se a cartas comerciais.
          • Procedeu-se, de imediato, às apurações dos votos.
          • No voleibol usa-se de vários artifícios para ‘segurar’ a partida.
          • Dizem que na próxima gestão se acabará com todas as regalias.
          • Depende-se dos outros com eles dependem da gente.

          Um comentário:

          1. Muito bom! Sugiro mudar as cores das letras, pois torna a leitura cansativa e não dá pra ler algumas coisas.Parabéns!

            ResponderExcluir