Loading...

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Sim, ele renunciou







O Papa que sempre renunciou!

Texto tirado do blog do Pe. Paulo Ricardo

http://padrepauloricardo.org/blog/o-papa-que-sempre-renunciou


A verdadeira causa da renúncia do Papa.

Tenho 23 anos e ainda não entendo muitas coisas. E há muitas coisas que não se podem entender às 8 da manhã quando te dirigem a palavra para dizer com a maior simplicidade: "Daniel, o papa se demitiu". E eu de supetão respondi: "Demitiu?" A resposta era mais do que óbvia, "Quer dizer que renunciou, Daniel, o Papa renunciou!"

O Papa renunciou. Assim irão acordar inúmeros jornais da manhã, assim começará o dia para a maioria. Assim, de um instante para o outro, uns quantos perderão a fé e outros muitos fortalecerão a sua. Mas este negócio de o Papa renunciar é uma dessas coisas que não se entendem.

Eu sou católico. Um entre tantos. Destes católicos que durante sua infância foi levado à Missa, depois cresceu e foi tomado pelo tédio. Foi então que, a uma certa altura, joguei fora todas as minhas crenças e levei a Igreja junto. Porém a Igreja não é para ser levada nem por mim, nem por ninguém (nem pelo Papa). Depois a uma certa altura de minha vida, voltei a ter gosto por meu lado espiritual (sabe como é, do mesmo jeito como se fica amarrado na menina que vai à Missa, e nos guias fantásticos que chamamos de padres), e, assim, de forma quase banal e simples, continuei por um caminho pelo qual hoje eu digo: sou católico. Um entre muitos, sim, porém, mesmo assim, católico. Porém, quer você seja um doutor em teologia ou um analfabeto em escrituras (destes como existem milhões por aí), o que todo mundo sabe é que o Papa é o Papa. Odiado, amado, objeto de zombaria e de orações, o Papa é o Papa, e o Papa morre como Papa.

Por isto, quando acordei com a notícia, como outros milhões de seres humanos, nos perguntamos: por que? Por que renuncias, senhor Ratzinger? Ficou com medo? Foi consumido pela idade? Perdeu a fé? Ganhou a fé? E hoje, depois de 12 horas, acho que encontrei a resposta: o Senhor Ratzinger renunciou, porque é o que ele fez a sua vida inteira.

É simples assim.

O Papa renunciou a uma vida normal. Renunciou a ter uma esposa. Renunciou a ter filhos. Renunciou a ganhar um salário. Renunciou à mediocridade. Renunciou às horas de sono, em troca de horas de estudo. Renunciou a ser um padre a mais, porém também renunciou a ser um padre especial. Renunciou a encher sua cabeça de Mozart, para enchê-la de teologia. Renunciou a chorar nos braços de seus pais. Renunciou a estar aposentado aos 85 anos, desfrutando de seus netos na comodidade de sua casa e no calor de uma lareira. Renunciou a desfrutar de seu país. Renunciou à comodidade de dias livres. Renunciou à vaidade. Renunciou a se defender contra os que o atacavam. Pois bem, para mim a coisa é óbvia: o Papa é um sujeito apegado à renúncia.

E hoje ele volta a demonstrá-lo. Um Papa que renuncia a seu pontificado, quando sabe que a Igreja não está em suas mãos, mas na de algo ou alguém maior, parece-me um Papa sábio. Ninguém é maior que a Igreja. Nem o Papa, nem os seus sacerdotes, nem seus leigos, nem os casos de pederastia, nem os casos de misericórdia. Ninguém é maior do que ela. Porém, ser Papa a esta altura da história, é um ato de heroísmo (destes que se realizam diariamente em meu país e ninguém os nota). Eu me lembro sem dúvida da história do primeiro Papa. Um tal... Pedro. Como foi que morreu? Sim, numa cruz, crucificado como o seu mestre, só que de cabeça para baixo.

Nos dias de hoje, Ratzinger se despede da mesma maneira. Crucificado pelos meios de comunicação, crucificado pela opinião pública e crucificado por seus próprios irmãos católicos. Crucificado à sombra de alguém mais carismático. Crucificado na humildade, essa que custa tanto entender. É um mártir contemporâneo, destes a respeito dos quais inventam histórias, destes que são caluniados, destes que são acusados, e não respondem. E quando responde, a única coisa que fazem é pedir perdão. "Peço perdão por minhas faltas". Nem mais, nem menos. Que coragem, que ser humano especial. Mesmo que eu fosse um mórmon, ateu, homossexual ou abortista, o fato de eu ver um sujeito de quem se diz tanta coisa, de quem tanta gente faz chacota e, mesmo assim, responde desta forma... este tipo de pessoas já não existe em nosso mundo.

Vivo em um mundo onde é divertido zombar do Papa, porém é pecado mortal fazer piada de um homossexual (para depois certamente ser tachado de bruto, intolerante, fascista, direitista e nazista). Vivo num mundo onde a hipocrisia alimenta as almas de todos nós. Onde podemos julgar um sujeito que, com 85 anos, quer o melhor para a Instituição que representa. Nós, porém, vamos com tudo contra ele porque, "com que direito ele renuncia?" Claro, porque no mundo NINGUÉM renuncia a nada. Como se ninguém tivesse preguiça de ir à escola. Como se ninguém tivesse preguiça de trabalhar. Como se vivesse num mundo em que todos os senhores de 85 anos estivessem ativos e trabalhando (e ainda por cima sem ganhar dinheiro) e ajudando a multidões. Pois é.

Pois agora eu sei, senhor Ratzinger, que vivo em um mundo que irá achá-lo muito estranho. Num mundo que não leu seus livros, nem suas encíclicas, porém que daqui a 50 anos ainda irá recordar como, com um gesto simples de humildade, um homem foi Papa e, quando viu que havia algo melhor no horizonte, decidiu afastar-se por amor à Igreja. Morra então tranquilo, senhor Ratzinger. Sem homenagens pomposas, sem corpo exibido em São Pedro, sem milhares chorando e esperando que a luz de seu quarto seja apagada. Morra então como viveu, embora fosse Papa: humilde.

Bento XVI, muito obrigado por suas renúncias.

Quero somente pedir minhas mais humildes desculpas se alguém se sentiu ofendido ou insultado com meu artigo. Considero a cada uma (mórmons, homossexuais, ateus e abortistas) como um irmão meu, nem mais nem menos. Sorriam, que vale a pena ser feliz.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Eles já sabiam

Esse texto não é meu, mas eu precisava de verdade post-lo aqui.

Dei de cara com ele agora apouco enquanto rasgava o coração com o amig dos amigos  "ocara". Esse cara sou , rsrs.

Bom, não sei porque , só sei que preciso ter esse texto armezanado aqui para mim.

Esse texto é desse site aqui
http://www.entendaoshomens.com.br/eles-ja-sabiam/




Eles já sabiam

Publicado em 15 de fevereiro de 2013 por Léo Luz

Algumas pessoas têm isso. De alguma maneira elas sentem quando – mesmo sem nenhuma indicação palpável – aquele pessoa vai acabar nos seus braços, cedo ou tarde. E naquela noite ambos sentiram isso. Não houve nenhum toque mais íntimo, nem um abraço sequer. Não houve palavras ao pé do ouvido, não houve dança juntos nem beijinho no canto da boca. Eles simplesmente sabiam. Só houve alguns poucos olhares. Que foram o suficiente, afinal, eles já sabiam mesmo. Mas nesse dia, algumas intempéries evitaram que aquele fosse o dia. Os olhares continuaram até ele ir embora, antes dela. E eles se despediram sem medo, sem pressa, sem arrependimento, afinal, eles sabiam.

Alguns dias depois se falaram pela Internet. Em poucos minutos um descobriu que o outro também sabia. E assim, pela Internet, sem nem se ver, eles já sabiam – e dessa vez até combinaram – que seriam um do outro. Nesse mesmo dia ele saiu com as amigas dela. Amigas em comum. Ele insistiu para que ela fosse, mas uma forte tosse parecia querer adiar de qualquer maneira o encontro. E ela não foi. Ele foi, e trocou mensagens com ela a noite toda. Mensagens melosas, já em tom de namoro. Mas ainda nem sequer tinham se beijado. Só haviam se encontrado duas vezes, em duas boates. Poderia ser até que nem se reconhecessem durante o dia. Mas isso não importava, eles sabiam.

Se falaram longamente também no dia seguinte – ainda impedidos de ser ver, menos por causa da tosse do que pela vaidade dela em não deixá-lo vê-la daquele jeito. Conversaram ao telefone, na Internet, mensagens. Não que ainda precisassem de mais palavras, mas se ele falavam e se falavam. Na segunda feira, enfim, se encontraram. Na casa dela. Se encontraram, conversaram banalidades e essas coisas. Não tinham pressa, eles sabiam. Num momento desses meio transcendentais que a gente nunca admite que acontece, ela, de repente, parou o que fazia e o fitou. Ele a olhava. E, sem dizer mais uma palavra, se beijaram. E esse ato se repetiu, com apenas um dia de ausência, durante vinte e dois dias. Sete dias depois estavam namorando, e hoje, parece que estão juntos há anos. Um é tudo o que o outro precisava. Houve contratempos, claro. Algumas coisas no passado dela se fizeram de difícil digestão pelo machismo retrógrado, conservador e orgulhoso dele. Da parte dela, foi difícil, depois de uma desilusão das piores, admitir que havia novamente encontrado o amor. Ou sido encontrada por ele.

Mas ele mandou o machismo às favas, e ela – me desculpem o termo, mas não há outro mais apropriado – mandou a prudência e o receio para a puta que pariu. E ficaram juntos. E estão até agora. E, pelo jeito que a coisa vai, passando por cima de todas as pedras no caminho, pedras essas que não foram poucas. Mas eles passaram por elas, e, há poucos minutos atrás, namoravam feito adolescentes e agora, alguns instantes depois, já estão morrendo de saudades, falando no diminutivo e que nem criança. Mas tudo isso só serviu pra confirmar o que, repetindo o motim desse texto, eles já sabiam desde o início.

 "v0cê pode ser uma pessoa super charmosa, educada ou inteligente, mas se a outra pessoa não for equivalente não irá perceber o quão valiosa você é"

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

All We Are - Sugarland

Bom como me foi perguntado que música era aquela do vídeo "We are Catholic", resolvi  fazer um post sobre a resposta a esta pergunta

A música é All We Are - Sugarland





All We Are
Fire like lightening, burning up the night
A smoke horizon, won't give up the fight

Fire like lightening, burning up the night
A smoke horizon, won't give up the fight

Well, deep inside can you hear that call?
Waking your heart and shaking your walls
Where love is found, the nations fall
A cry will rise above it all

All we are, we are
All we are, we are
All we are, we are
All we are, we are young

Shine like diamonds, cut the night into the sky
Light riding, show me your love

You were deep inside I can hear that call
Waking my hear and shaking my walls
Where love is found, the nations fall
A cry will rise above it all

All we are, we are
All we are, we are
[ Sugarland Lyrics are found on www.songlyrics.com ]
All we are, we are
All we are, we are young, oh

Lift me up
(Fire like lightening, baby)
It's not over
(Fire like lightening, baby)

We are young
(Fire like lightening, baby)
Tell me
(Fire like lightening, baby)

Over and over
(Over and over)
We are young
(Over and over)

Over and over
(Over and over)
Over and over, and over and over
And over and over

Fire like lightening




Olha aqui a tradução -->  http://letras.mus.br/sugarland/1765086/traducao.html#selecoes/454833/

...

Fica a dica...









Quer arriscar? Eu estou querendo =)

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

HI

Oiee. Finalmente apareci por aqui. Tanta coisinha acontecendo, coisas que nem eu estou entendendo. Estou tentando desembaralhar as coisas e esperando/vivendo o desenrolar dos dias, para assim eu conseguir desabafar. Hoje consegui desabafar com alguém os sentimentos e ansiedade que em mim teimam se revirar.
O que eu não consegui desabafar com as amigas ( as miguxas) ainda, consegui com uma pessoinha que conheci hj, tadinhaaa, foi uma enxurrada de informações. Rsrrs.
Deus sabe o que faz. hehehe

Bom, a vida tem andado corrida, sem tempo para algumas coisinhas e quando este bendito aparece resolvo aproveitar para descansar. Estou gostando das minhas aulas no LFG, no Equi...(nem se compara, né? x))
As coisas estão indo muito bem, graças a Deus. Minha tuma é pequena, séria... cheia de advogados... futuros defensores, procuradores quem sabe até juízes e eu me sentindo a reles mortal dando meus pequenos passinhos =), mas é assim que tem de ser, começando com pequenos passos, mesmo na turma de gente grande.

1° passo - fazer toda essa atualização tão necessária, sem maiores exigencias. ( tentar fazer módulo 1 e 2) Isso é um ano, espero conseguir e não desistir no meio do caminho.
2° passo - aí sim, de fato estudar. 
Nesse meio tempo queria passar em algum concursoooooo, nivel médio mesmooo, mas um bom.Sei que isso vai depender muito do meu esforço. Que Deus me abençoe e me dê ânimo diário para estudar. 


Bom, saber que acho... estou fazendo a coisa certa.

Tenho pensado muito nisso: Tenho de honrar a Deus e as pessoas com tudo o que me foi dado...as oportunidades, a sabedoria, a capacidade, a inteligência, honrar a todo esforços dos que me são queridos. Honrar a família que quero ter, e ao esposo que tanto tenho clamado. Preciso honrar a todos oferecendo o meu melhor que até aqui acabei jogando para o alto por algum motivo.


* Algo que um dia a Marcinha me fez pensar e vejo que ela tinha toda a razão. 

Construindo o passo a passo dos meu queridos passos.
Vivendo um dia de cada vez.

E claro, lutando dia a dia para que o desânimo não me vença em algum momento.


Como diria Fernando: Força, coragem e não desista.

Vamos lá uma ótima e abençoada quinta -feira a todos.

=***






PS: He is so cute. x)
Claro, não posso esquecer da argola no dedo. =/